quarta-feira, 17 de junho de 2009

Educação Bilíngue no Brasil

Diversidade sociocultural
O Brasil hoje reconhece a diversidade sociocultural dos povos indígenas. Ela se expressa pela presença de mais de 220 povos indígenas distintos, habitando centenas de aldeias localizadas em praticamente todos os estados da Federação. Vivem em 628 terras indígenas descontínuas, totalizando 12,54% do territorial nacional. Apesar da ampla distribuição, mais de 60% da população indígena está concentrada na região da Amazônia Legal.

Foto da EM Francisco Meireles e Missão Caiuá


quarta-feira, 10 de junho de 2009

segunda-feira, 8 de junho de 2009

NÚCLEO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS




TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO

TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO
É preciso que os professores estejam acompanhando essa nova era de inovações, que repensem suas práticas pedagógicas, precisam perder o medo de errar, de não saber, deixar de querer ser o dono do saber e superior ao seu aluno, seu papel é de colaborador, de criar oportunidades para seus alunos, pois havendo uma troca recíproca facilitará a aprendizagem. A escola precisa deixar de ser a transmissora de informações, propiciando um ambiente de aprendizagem para a construção do conhecimento.
O educador deve estar apto a mudar e estar consciente da importância da tecnologia educacional como ferramenta valiosa no processo de ensino e aprendizagem, facilitando para o educando uma assimilação significativa dos conteúdos, bem como proporcionando um avanço na construção de novos conhecimentos.
São muitos os recursos a nossa disposição para aprender e para ensinar. A chegada da tecnologia, dos programas que gerenciam grupos e possibilitam a publicação de materiais estão trazendo possibilidades inimagináveis.
Não basta tentar remendos com as atuais tecnologias, deve-se fazercoisas diferenciadas, é hora de mudar de verdade e vale a pena fazê-lo logo, chamando os que estão dispostos, incentivando-os de todas as formas, dando tempo para que as experiências se consolidem e avaliando com equilíbrio o que está dando certo.
As tecnologias não substituem o professor, mas modificam algumas das suas funções, a tarefa de passar informações pode ser deixada aos bancos de dados, livros, vídeos, programas em CD.
O professor se transforma agora no estimulador da curiosidade do aluno por querer conhecer, por pesquisar, por buscar a informação mais relevante. Também coordena o processo de apresentação dos resultados pelos alunos, transformando informação em conhecimento e conhecimento em saber, em vida, em sabedoria, o conhecimento com ética.
As tecnologias permitem um novo encantamento na escola, ao abrir suas paredes e possibilita aos alunos a construção de novos conhecimentos, dessa forma o processo de ensino-aprendizagem pode ganhar um dinamismo, inovação e poder de comunicação inusitados.
O re-encantamento, não reside principalmente nas tecnologias, mas em nós mesmos, na capacidade em tornar-nos pessoas plenas, num mundo em grandes mudanças. É maravilhoso crescer, evoluir, comunicar-se plenamente com tantas tecnologias de apoio.

Sem stress

video

Educação Indígena

Educação Indígena
Com a maior Reserva Indígena do Brasil em índice populacional, Dourados realiza a "I Conferência Regional de Educação Escolar Indígena". O evento aberto no início desta semana na Câmara de Vereadores e que reuniu centenas de pessoas, prossegue até o dia 03 de abril. Estiveram presentes autoridades em Educação Indígena, do Ministério da Educação (MEC), Governo do Estado, Semed, Funai, Consed, Undime, Assomasul e universidades. Além de representantes da comunidade indígena das etnias Guarani, Kaiowá, Nhandeva e Terena.Os debates, as discussões e as temáticas serão trabalhadas no auditório do Centro Universitário da Grande Dourados (Unigran). O objetivo central da conferência é criar leis e diretrizes de uma política própria para a Educação Escolar Indígena que respeite as diversidades locais. Nos quatro dias de discussão, os participantes vão produzir documentos com suas reivindicações e propostas para a melhoria da educação escolar indígena na região.A secretária de Educação de Dourados, Marlene Vasconcelos, defendeu a estruturação e uma atenção especial às políticas educacionais aos indígenas. "Precisamos cuidar com muito carinho da educação escolar dentro da comunidade indígena, e essa conferência com certeza levará a essa melhora", enfatizou.O município de Dourados está prestes a concluir uma escola com instalações modernas na Aldeia Jaguapiru, onde estão sendo construídas 10 salas de aula e serão atendidas mais de 600 crianças do 1º ao 9º ano.